vá para conteúdo
Quer começar uma horta e não sabe como? Confira nosso guia de cultivo

Quer começar uma horta e não sabe como? Confira nosso guia de cultivo

Nunca plantou? Comece por aqui!

Se os benefícios de termos uma horta em casa já sabemos de cor, o mesmo não acontece sobre como começar esse cultivo. Muitas dúvidas surgem no meio do caminho, e com isso em mente, bolamos esse guia para te ajudar durante esse processo. Com alguns conhecimentos e criatividade, você vai descobrir que o único pré-requisito de para ter uma horta caseira é a força de vontade. Explore o mundo da agricultura urbana e comece a cultivar seus temperos, alimentos, flores e plantas medicinais dentro de casa ou apartamento.

Materiais

Antes de colocar a mão na massa, verifique se você possui os materiais básicos:

  • Terra: A base de tudo, o alimento e a casa das plantas. Se você não tiver terra em casa, precisará adquirir. Peça a algum conhecido ou compre um substrato preparado - conheça nosso Mix de Plantio.
  • Pá: Para começar, qualquer pazinha de jardinagem vai servir. Essa ferramenta é importante para revirar a terra e abrir o berço das mudas ou sementes. Conforme sentir necessidade, procure por outros tipos - algumas são boas para cavar enquanto outras são melhores para deslocar terra.
  • Vasos: Existem diversos tamanhos e formatos e todos eles podem ser aproveitados para fazer uma linda horta. Conheça nossos produtos.
  • Tesoura de poda: Importante para que suas plantas não sejam danificadas na hora da colheita e/ou poda.
  • Regador, dispersor ou pistola de mangueira: Importante para uma irrigação eficiente. Jatos dispersos evitam que as plantas sejam danificadas e que o solo fique compactado.  

Planejamento

Assim como tudo na nossa vida, o sucesso do plantio depende de planejamento. Sem fórmulas ou complicações, essa etapa é importante para ter uma dimensão geral de como será a sua plantação caseira.

O que você deseja cultivar?

Primeiro você precisa descobrir quais plantas você tem vontade de ter em casa. Para ajudar nessa decisão fizemos um panorama geral das possibilidades e grupos de plantas que podem ser facilmente cultivados em escala doméstica.

  1. Temperos, ervas e plantas medicinais: um excelente ponto de partida 
    Crescem em pequenos espaços, por isso são ótimas plantas para cultivo em vasos e dentro de casa. Garantem uma produção constante de temperos e chás. Alguns exemplos são o manjericão, a salsinha, a cebolinha, a hortelã e o boldo.

  2. Verduras e folhosas: salada fresca
    Plantas de pequeno porte e rápido crescimento. Além de serem boas para o cultivo em vasos. Possuem grande capacidade de rebrotar, o que garante uma produção constante de folhas frescas para saladas ou refogados. Alguns exemplos são a  alface, a rúcula, o espinafre, o agrião e a couve.

  3. Legumes, leguminosas e tubérculos: produzindo alimento
    Cultivos maiores e com ciclo de vida mais longo. Essas plantas já precisam de vasos mais profundos, para que haja um bom enraizamento. Produzem frutos, raízes e vagens que vão incrementar a sua dieta com alimentos de qualidade. Alguns exemplos são o feijão, a ervilha, o tomate, a abóbora, a cebola e a batata.

  4. Frutas: sobremesa e lanche
    Plantas de porte arbóreo ou rasteiras que produzem frutas deliciosas para sua família. As árvores frutíferas dependem de muito espaço para crescer mas irão produzir por muitos anos. Já as rasteiras têm um ciclo de vida mais rápido e podem ser cultivadas até mesmo em pequenos vasos. Alguns exemplos são a amora, o limão, jabuticaba, morango e melão.

  5. Plantas Alimentícias não Convencionais (PANCs): plantas rústicas e extraordinárias
    Espécies rústicas que precisam de poucos cuidados para se desenvolver. Estão se tornando cada dia mais conhecidas pelo valor culinário e nutricional que apresentam. Pela facilidade e abundância na produção são uma excelente opção para as hortas caseiras, como exemplo o ora-pro-nobis, a bertalha, a capuchinha e o peixinho.

Por onde devo começar?

Faça um rápido levantamento dos ambientes da sua casa/apartamento para encontrar o local ideal para o plantio. Considerando o espaço disponível, a incidência de luz e a facilidade de acesso, escolha o lugar mais apropriado. Com um pouco de criatividade é possível contornar alguns obstáculos e aumentar as possibilidades - hortas verticais e suspensas são um ótimo exemplo disso.

Os melhores locais para começar, são aqueles que recebem sol em algum momento do dia. Procure por: janelas, portas de vidro, beirais, paredes, terraços, sacadas, lajes e quintais.

É importante refletir se os cultivos escolhidos serão compatíveis com o espaço disponível. Esse momento é fundamental para orientar seu planejamento, mas nunca para restringir suas opções. Com alguns cuidados e adaptações é possível ter árvores frutíferas em um apartamento ou cultivar onde não bate sol, por exemplo.

É necessário dedicar alguns minutos por dia para suas plantinhas - quanto mais plantas você tiver, maior será esse cuidado. Pense na sua rotina e reserve alguns momentos para trabalhar na horta, é relaxante e recompensador. 

Execução

Como adquirir as plantas?

É possível encontrar uma boa variedade de mudas e sementes para comercialização em lojas de jardinagem ou na internet. Para não consumir produtos com agrotóxicos recomendamos que dê preferência às sementes orgânicas ou agroecológicas – confira as nossas sementes livres de veneno.

Outra possibilidade interessante é conhecer os movimentos e redes de agricultura urbana da sua cidade. Normalmente esses grupos organizam feiras e encontros para fornecimento, ou troca de sementes e mudas.

Onde plantar?

Você poderá cultivar em vaso ou diretamente na terra. Em qualquer um dos casos, é importantíssimo que o substrato seja fértil, possuindo abundância de nutrientes e minerais, para suas plantas crescerem com saúde. Se o solo não for adequado, elas ficarão fracas e serão facilmente atacadas por pragas e doenças.

Como preparar um vaso?

Selecione um vaso com furos na parte inferior ou sistema de drenagem e complete com o substrato preparado. Colocar pedrinhas, argila expandida ou areia sob um manto de drenagem, no fundo do vaso, também ajuda na drenagem, mas não é um procedimento obrigatório. 

Como plantar sementes?

Se você optou por sementes precisará germiná-las. Utilize uma sementeira para produzir mudas ou realize o plantio diretamente no local definitivo. Faça pequenos furos na terra (a profundidade ideal é sempre o dobro do tamanho da semente) e coloque de 2 a 3 sementes em cada um. Cubra as sementes com terra e deixe o solo úmido para que germinem. Se mais de uma semente germinar no mesmo local, faça a remoção ou o transplante daquela muda menos desenvolvida. 

Nos primeiros dias de vida as mudas são bem sensíveis, então considere deixar o vaso ou sementeira em um local sombreado e preste atenção redobrada na irrigação – o solo não pode estar seco nunca.

Para facilitar essa etapa nós criamos cápsulas que te ajudarão a germinar sementes de forma simples, eficiente e divertida. Conheça essa tecnologia aqui.

Como plantar mudas?

Se você adquiriu mudas, basta transplanta-las para o local desejado. Utilize uma pá de jardinagem para abrir um buraco na terra e plante o torrão no local. Com as mãos, faça uma leve pressão na terra, ao redor da muda, para que ela possa se fixar ao solo.

Manutenção – Manejo

Você já deu o primeiro passo e sua horta já deve estar começando a tomar forma. Agora é hora de conhecer algumas práticas de manejo e manutenção que garantirão um bom desenvolvimento das suas plantas.

Observação

Reserve alguns momentos para observar a sua horta. Isso é importante pois a maioria das dificuldades serão superadas se você identificar os eventuais problemas com rapidez. Preste atenção ao solo, às plantas e principalmente aos animais e insetos que frequentam a área. Se perceber algum desequilíbrio ou praga, na sua horta, reveja suas práticas de manejo.

Irrigação

Água é a principal necessidade das plantas, então garanta uma irrigação constante para que o solo esteja sempre úmido, mas não completamente encharcado. Uma boa medida para avaliar a necessidade de rega é encostar no solo com as mãos para verificar a umidade. Se o solo estiver seco realize a rega, jogando água ao redor das plantas (evite jogar diretamente sobre elas).

A freqüência da rega pode variar de acordo com o clima e a drenagem do seu vaso/horta. Por questões de temperatura e absorção de água os melhores períodos para irrigação são no começo da manhã ou no final da tarde, então priorize estes horários.

Adubação

A fertilidade do solo é a garantia de que suas plantas irão se desenvolver bem e livre de pragas. Para aumentar a disponibilidade de nutrientes no solo e assegurar que as necessidades da planta sejam atendidas, recomendamos a adoção de algumas práticas de adubação. 

Uma primeira medida de fácil implementação e que traz inúmeras vantagens é utilizar uma camada de cobertura vegetal morta (folhas, fibras ou galhos secos) sobre o solo exposto. Além de oferecer matéria orgânica para o solo, essa camada protetora reduz os efeitos do calor, da erosão e da compactação, deixando o solo mais úmido e fértil.

Outra prática interessante é incorporar periodicamente algum tipo de adubo na sua terra. Aplique algum composto ou solução orgânico-mineral diretamente sobre a terra. Por questões de saúde, recomendamos que evitem produtos sintéticos e químicos, já que existem diversos fertilizantes naturais no mercado - confira os nossos produtos de Nutrição.

Pragas e Doenças

Quando as condições do solo, irrigação, clima e luminosidade estão inadequadas, as plantas não se desenvolvem bem e podem ser atacadas por pragas ou doenças. As pragas que eventualmente aparecem - as mais comuns são os pulgões, cochonilhas, larvas, lesmas, caracóis e lagartas - são indicadores de que sua planta não está saudável. Por isso, recomendamos que tente descobrir qual é o fator de desequilíbrio da sua horta.

Enquanto as medidas de adequação estão sendo tomadas você pode enfraquecer as pragas com o uso de repelentes e pesticidas naturais. Realize remoção das folhas e ramas que foram muito afetadas para auxiliar na recuperação.

No caso de aparição de fungos, é provável que exista excesso de umidade no sistema. Nesse caso, seja mais cauteloso com as regas e deixe suas plantas em locais mais arejados. É recomendável podar as primeiras folhas que apresentarem a doença para que o fungo não se espalhe.

Poda

Conforme suas plantas crescem algumas podas podem ser realizadas para favorecer e conduzir o desenvolvimento das folhas, ramas e frutos. É sempre interessante remover galhos e folhas secas ou mortas para que os brotos mais jovens possam se desenvolver. Utilize tesoura de poda para não danificar suas plantas ao realizar essas operações.

Colheita

Quando chegar o tão esperado momento, você poderá realizar a colheita de suas hortaliças. Algumas culturas possibilitam uma colheita frequente enquanto outras isso ocorre de maneira pontual.

Bom Cultivo!

Se tiver dúvidas ou sugestões,  pode contar conosco!

Artigo anterior Guia detalhado de como plantar coentro
Próximo Artigo O que são brotos? Aprenda como plantar esses superalimentos em casa

Comentários

Equipe Yes, We Grow - agosto 17, 2020

Olá, Fabiana. Tudo bem?

A grande maioria das hortaliças não são as maiores fãs de vento forte. Mas, mesmo assim, não desanime, você pode contornar essa situação fácil fácil. Uma boa alternativa é fazer uma barreira natural ou artificial, criando assim uma condição mais favorável para o cultivo.

Uma ótima opção é implementar uma espécie de cerca-viva, na sua varanda, com outras espécies mais resistentes ao vento, como por exemplo: espada de são jorge, alecrim, lavanda ou orégano. A cortina de vidro também deve te ajudar bastante!

Com esse local protegido, você poderá implementar uma hortinha sem nenhum problema! Além das hortaliças, como você mencionou as orquídeas, estas sofrem em especial com vento. Deixa elas bem protegidas, tá bem?

E se ficar com alguma dúvida, pode contar conosco através do número (11) 97378-5085 ou no nosso instagram @yeswegrow

Fabiana - agosto 17, 2020

Olá. Moro em apto, perto da praia, andar alto. Quando venta, venta forte. Fechei com cortina de vidro p proteger as plantas que tenho na varanda mas não são todas que ficam felizes por lá. As orquídeas, por exemplo, começam a murchar as folhas. O sol bate pela manhã. Será que uma hortinha ficaria bem neste espaço e nestas condições? Vento, maresia e sol da manhã?

Marcela - julho 22, 2020

Ótimo texto! Me esclareceu muitas dúvidas…. quem sabe agora eu não começo a plantar! Obrigada :)

Victor - julho 21, 2020

Excelente, muito obrigado pelo conteúdo.
Esse guia me incentivou a começar o meu plantio. Parabéns pela iniciativa

Deixe um comentário

Comentários serão aprovados antes da publicação

* Campos obrigatórios