vá para conteúdo
O legado de Burle Marx

O legado de Burle Marx

Tempo de leitura: 3 minutos

Você com certeza já ouviu falar no Burle Marx, não é? Um dos maiores paisagistas da história brasileira, ele foi responsável por milhares de projetos ao redor de todo o mundo, muitos deles aqui no Brasil.

Mas você sabia que além de grandes projetos, ele também foi responsável por mudar o paisagismo no Brasil e no mundo? 

Para celebrar o aniversário de Burle Marx, fizemos um artigo para contar um pouco mais sobre o seu legado e a sua história. Confira abaixo!

----

Quem foi Burle Marx?

Nascido em 1909, filho de um judeu alemão com uma pernambucana descendente de franceses, Roberto Burle Marx viveu parte de sua infância em São Paulo e outra parte no Rio de Janeiro. 

Desde pequeno, acompanhava sua mãe Cecília Burle nos cuidados com as plantas do jardim, e logo desenvolveu interesse e começou sua própria coleção.

Aos 19 anos, mudou com a família para a Alemanha para tratar um problema nos olhos, e foi no Jardim Botânico de lá que entrou em contato com plantas brasileiras que antes nem conhecia - o que marcaria sua carreira dali para frente. Em Berlim, também começou a estudar pintura, no ateliê de Degner Klemn.

Ao voltar para o Rio de Janeiro, ingressou na Escola Nacional de Belas Artes (atual Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro), por incentivo de Lúcio Costa - pioneiro da arquitetura modernista no Brasil e, na época, seu vizinho e amigo, para quem Burle Marx iniciou seus trabalhos com paisagismo. 

Em 1934, realizou seu primeiro projeto de jardim público: a Praça de Casa Forte, no Recife - cidade natal de sua mãe. Também assumiu o cargo de Diretor de Parques e Jardins do Departamento de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco, onde projetou mais de 10 praças.

Nesses projetos, começou a imprimir o que viria a ser sua marca e um dos principais legados: o uso de vegetação nativa nacional.

Alguns anos depois, Burle Marx foi convidado para projetar os jardins do terraço do Edifício Capanema, que naquele momento era o Ministério da Educação e Saúde no Rio de Janeiro. Esse projeto garantiu sua visibilidade e reconhecimento internacional, tendo se tornado um marco da arquitetura moderna no Brasil.

Em 1949, comprou um terreno em Guaratiba, no Rio de Janeiro, que futuramente se tornaria o "Sítio Burle Marx", considerado patrimônio nacional sob direção do IPHAN. Nele, pesquisou e cultivou diversas espécies de plantas.

"UM JARDIM É UMA NATUREZA ORGANIZADA PELO HOMEM E PARA O HOMEM"

Ao longo dos anos, foi responsável por diversos projetos de paisagismo ao redor do Brasil e do mundo, tendo virado referência principalmente graças à sua valorização da vegetação brasileira. Não à tôa, recebeu os títulos de Doutor honoris causa da Academia Real de Belas Artes de Haia (Holanda) e do Royal College of Arte de Londres (Inglaterra).

Faleceu em 4 de junho de 1994, no Rio de Janeiro, deixando um legado não só em seus mais de 3 mil projetos, mas também em toda a história do paisagismo.

Obras e legado:

Ao todo, Burle Marx foi responsável por mais de 3 mil projetos paisagísticos ao redor do mundo, sendo alguns dos mais reconhecidos: o paisagismo do Eixo Monumental (Brasília), o paisagismo do Aterro do Flamengo (Rio de Janeiro), os parques del Este e del Oeste em Caracas (Venezuela), e os jardins do prédio da UNESCO em Paris.

O escritório que leva o seu nome, hoje ainda é responsável por diversos grandes projetos no país. 

Mais do que o impacto que suas obras causaram no espaço físico, o legado de Burle Marx para o paisagismo e a história do Brasil é inquestionável. Num momento onde tudo que era feito no país era inspirado - e até importado - pela França, foi ele quem criou uma nova linguagem ao explorar e aproveitar a riqueza de nossa flora.

Além de estudar e palestrar sobre as plantas durante quase toda a sua vida, Burle Marx também foi um grande defensor da preservação do meio ambiente - mesmo quando esse assunto ainda não estava tão em foco.

O "Sítio Burle Marx", hoje considerado patrimômio mundial, abriga mais de 3.500 espécies de plantas - algumas ameaçadas de extinção ou até desaparecidas em seus países de origem. 

Além disso, Burle Marx dá o nome a mais de 30 espécies de plantas descobertas por ele!

----

E aí, gostou do artigo? Nós somos muito fãs do Burle Marx, e nos inspiramos muito na relação que ele tinha com as plantas. 

Que tal você se inspirar também? Conte com a gente para começar a plantar hoje mesmo! :)

Artigo anterior Quer plantar melissa? A gente ensina como!
Próximo Artigo Receita: Polenta com Ragu de Cogumelos e Brotos de Couve Pe-Tsai

Deixe um comentário

Comentários serão aprovados antes da publicação

* Campos obrigatórios