vá para conteúdo
Guia de Cultivo Completo: Girassol

Guia de Cultivo Completo: Girassol

Tempo de leitura: 5 minutos

O girassol é uma das flores conhecidas do mundo – e também uma das que mais nos impressionam. Conhecida por se mover de acordo com a luz do sol, o que dá origem a seu nome popular, a planta é chamada cientificamente de Helianthus annuus L., tem pétalas amarelas e um miolo mais escuro, cheio de sementes e outras pequenas flores hermafroditas, parte importante para garantir a polinização. O girassol é plantado no mundo inteiro e cultivado não só para embelezar casas e jardins, mas também porque o óleo produzido por ele e suas sementes têm propriedades benéficas para o nosso organismo.

Ao longo deste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre a origem, a história do girassol e seus principais tipos, além de listarmos dicas imperdíveis de como cultivá-los em ambientes internos ou em jardins. Afinal, sempre queremos que as plantas que embelezam a sua casa também estejam fortes e saudáveis. Vamos nessa?

 

História do girassol

O girassol é uma flor ornamental conhecida por significar felicidade, vitalidade e energia positiva. Na mitologia grega, no entanto, uma lenda não tão feliz explica a origem da flor: quando a ninfa Clítia, apaixonada por Hélio, o Deus Sol, foi abandonada por ele, se pôs a chorar dia e noite. Enquanto o sol estava no céu, ela o observava. Com o tempo e a dor da perda, Clítia começou a enfraquecer, seus pés se tornaram raízes e seu rosto se transformou na flor do girassol.  

Historicamente, hoje sabemos que o girassol tem origem na América do Norte e Central e pertence à família das Asteráceas – curiosamente, a mesma família do alface, da camomila e da margarida.

 

Tipos de girassol

Existem diversos tipos de girassol – a literatura aponta para mais de 60 variedades –, a maioria deles de coloração amarela. No entanto, é possível também encontrar girassóis avermelhados, laranjas e até brancos. No Brasil, os tipos de girassol mais comuns e mais fáceis de encontrar são:

Girassol Anão
Com uma altura de 45 cm a 60 cm, é o tipo mais indicado para ser cultivado em vasos e ambientes internos.

Girassol Arranha-Céu
O nome não existe à toa: a flor pode atingir 3 metros de altura e cada pétala chega a ter 35 cm. 

 

Como plantar girassol?

O girassol é uma flor que requer certos cuidados para crescer forte e bonita. Por isso, a primeira etapa é preparar o solo. Se for plantar o girassol em um vaso, escolha sempre os médios ou grandes, porque mesmo os menores girassóis podem crescer bastante. Coloque cascalho, pedras ou bolas de argila no fundo do vaso para criar um bom sistema de drenagem e finalize com terra e adubo da sua preferência.

Se for plantar seu girassol em um jardim ou outra área externa, prefira sempre áreas bem ensolaradas e com boa drenagem.

 

Como cuidar de girassol?

Depois de plantar sua semente de girassol, é importante regar com uma boa frequência – a cada dois dias – para que a umidade ative a semente e ela comece a brotar. Mas sem encharcar a terra, ok? Na medida que a planta começa a crescer, espace mais as regas, tomando cuidado para sempre deixar a terra úmida. Duas vezes por semana costuma ser uma frequência boa para que o girassol cresça de forma saudável.

Para uma planta que tem "sol" no nome, também é de se esperar que seu girassol fique sempre em um lugar iluminado. O girassol gosta de muita iluminação direta – estamos falando de, no mínimo, 4 horas de sol direto todos os dias.

 

Sementes de girassol: benefícios para a saúde

O girassol é famoso mundo afora e cultivado em muitos lugares do planeta porque conseguimos aproveitar quase tudo que a planta nos dá. Além das belas flores ornamentais, suas sementes são usadas na gastronomia e têm excelente potencial nutritivo. 

As sementes de girassol são ricas em gorduras saudáveis para o nosso organismo, além de terem proteínas, antioxidantes e fibras que ajudam no combate a doenças cardiovasculares, como a pressão alta. 

Para incorporá-las na sua dieta, você pode experimentar as sementes de girassol torradas, como um lanchinho ou petisco – e na hora de comprar, você pode escolher direto a versão descascada, mais prática para o dia a dia. Outra opção é misturar a semente de girassol para trazer crocância em saladas, ovos mexidos e até sopas. Ou então, triturá-las e usá-las como farinha para empanar ou engrossar outras receitas.

 

Óleo de girassol: benefícios para a saúde

O principal benefício do óleo de girassol para a saúde do nosso corpo é ser rico em antioxidantes e, por isso, ajudar na proteção das nossas células. Em pequenas doses, também auxilia na produção de hormônios importantes para o bom funcionamento do organismo, ajuda a controlar o colesterol e melhora a saúde cardiovascular.

Como todo óleo, o de girassol é calórico e deve ser consumido com moderação. E atenção: vale lembrar também que esquentar o óleo de girassol – para empanar alguma receita, por exemplo – faz com que ele perca boa parte de suas propriedades benéficas.

Outro uso comum do óleo de girassol é para trazer benefícios para a pele. É um óleo rico em vitamina E – ou seja, aplicá-lo em pequenas doses diretamente na pele promove hidratação, e contribui para que ela fique com mais viço e beleza. Outra opção é usar o óleo de girassol nos cabelos para deixá-los mais brilhantes e hidratados, aumentando a saúde dos fios.

 

Plantando girassol com Yes We Grow

Você pode cultivar seus próprios girassóis com a nossa ajuda, graças ao Kit Mudas de Girassol. Suas cápsulas de germinação foram desenvolvidas para oferecer uma maior praticidade no seu processo de plantio: uma vez que a semente se desenvolve e apresenta o segundo par de folhas, é só levá-la para o vaso definitivo, evitando erros de manuseio. 

Fique ligado no nosso blog para mais dicas de cultivo e plantio, além de curiosidades e maneiras cada vez mais práticas para plantar em casa de forma eficiente! 

Artigo anterior 4 tipos de vasos para fazer plantio em casa
Próximo Artigo Quer plantar melissa? A gente ensina como!

Deixe um comentário

Comentários serão aprovados antes da publicação

* Campos obrigatórios